História da Parnaioca

A bela Praia da Parnaioca é uma das praias mais isoladas de toda a Ilha Grande. De frente para o Atlântico com sua areia amarelada e grossa tem o mar agitado, é funda e com pouca sombra em seus 1.000 m de comprimento. Na extremidade oeste, deságua o Rio Parnaioca que é um encanto, formando uma pequena lagoa na praia. Na época áurea da Parnaioca, seu rio já foi bem mais volumoso, a ponto que era impossível atravessá-lo em época de chuvas fortes.

Não existe iluminação por rede elétrica na Parnaioca. Nas áreas de acampamento a energia é provida por gerador elétrico. O sinal de celular é muito fraco ou inexistente. Um lugar para estar "desplugado" em total interação com a natureza, sem as distrações da modernidade.

As ruínas de antigas construções feitas pelas mãos dos escravos e a pequena Igreja do Sagrado Coração de Jesus ainda hoje mantém seus traços originais. Este é um dos poucos vestígios da grande comunidade que aqui viveu. Quem a conhecer hoje jamais será capaz de imaginar que em meados do século 20 já foi a praia mais povoada da Ilha Grande, abrigando uma comunidade de mais de 1.000 pessoas que viviam da pesca e agricultura. Atualmente é uma praia quase deserta com apenas 5 habitantes.